Os 11 direitos do Ser Assertivo e Autêntico

Faz alguns anos já, mas me lembro bem do feedback que certa vez recebi em uma avaliação de desempenho feita por meu gerente na época, onde ele levantava um ponto a ser desenvolvido em meu comportamento. Segundo ele, minha comunicação em alguns momentos causava certo “desconforto” nas outras pessoas, dizia que por certas vezes eu era “direto demais”, e isso não era muito bom. Por fim ele registrou no meu formulário de avaliação de desempenho a seguinte frase:

 ” Você é muito assertivo em alguns momentos, e isso causa desconforto em algumas situações”.

 

Será que ele sabia o verdadeiro significado da palavra que estava utilizando?

Pior ainda! Será que ele avaliou o impacto que esta solicitação poderia causar em meu comportamento?

A verdade é que nem esse meu gerente na época, e muito menos eu, sabíamos o verdadeiro significado de ser assertivo. Naquela época nós cometemos um erro de interpretação de significado desta palavra.

clique aqui e inscreva-se em nossa newsletter

A palavra assertividade vem de “ASSERO” que significa afirmar. E atenção para o motivo de tanta confusão. Afirmar não é acertar! Portanto, não se trata de acertar, mas de saber se firmar e afirmar.

“O meu espaço vital é o espaço mínimo necessário para que eu me sinta feliz”.  

A Assertividade é a arte de defender o meu espaço vital sem recuar e sem agredir. Ser assertivo é ser pacífico sem ser passivo. Ou seja, a assertividade jamais será algo negativo em nenhum aspecto.

Recentemente, ao ler o livro Ser Assertivo de Vera Martins, me deparei com uma lista de 11 direitos do assertivo criados pelo Dr. Manuel J.Smith, em sua obra Quando digo não, me sinto culpado.

Esses 11 direitos, se forem utilizados de forma equilibrada, são um convite à autenticidade.

Vamos aos 11 direitos então:

1)    Toda pessoa tem o direito de tomar as próprias decisões

Você tem o direito de julgar e controlar seus pensamentos, sentimentos e comportamentos, independentemente do que os outros julgam ser adequado frente às várias situações enfrentadas na vida. Exercitando esse direito de afirmação, você passa a assumir a responsabilidade por sua vida, independente das outras pessoas. Ninguém merece aquela voz interior sempre perguntando:

“Será que os outros vão gostar disso?”

 clique aqui e inscreva-se em nossa newsletter

2)    Toda pessoa tem o direito de não justificar seu comportamento

Quem deve julgar seus atos é você mesmo, não é preciso ficar explicando seu comportamento, pois ninguém tem o direito de exigir que você apresente razões para provar que está errado.

É evidente que no convívio social as pessoas têm também o direito de dizer que não gostam de algum comportamento seu. Diante dessa situação, você tem no mínimo 3 opções: ignorar a opinião do outro, aceitar um compromisso de mudança de ambas as partes ou respeitar a opinião do outro e mudar completamente seu comportamento. Essa decisão é sua, isso é o mais importante.

3)    Toda pessoa tem o direito de escolher não ser responsável pela solução dos problemas das pessoas.

Por mais que goste de alguém nessa vida, você não tem a capacidade de pensar por essa pessoa, de criar-lhe estabilidade mental ou emocional. Nada impede que você sinta compaixão pelos problemas de outras pessoas, e até decida fazer aquilo que a outra pessoa deseja que você faça, mas ela terá de se esforçar, e até sofrer se for o caso, para encontrar o seu caminho para a felicidade.

4)    Toda pessoa tem o direito de mudar de opinião.

Ser flexível não significa ser fraco. Errar não é sinal de irresponsabilidade e, tampouco demonstra que você não seja capaz de tomar decisões.

Nossa sociedade é muito rígida e ideológica em alguns aspectos, então precisamos aprender a qualidade de estarmos abertos ao novo pensamento, a mudar de opinião.

5)    Toda pessoa tem o direito de cometer enganos e ser responsável por eles.

Aceitar sua imperfeição é aceitar sua humanidade. Somos todos seres imperfeitos. Portanto, chega de perder tempo com essa armadura enferrujada e pesada de Super-Herói. Muita gente passa a vida inteira com vergonha de errar, e por isso acaba deixando de fazer coisas novas, só por medo de errar.

clique aqui e inscreva-se em nossa newsletter

6)    Toda pessoa tem o direito de dizer “não sei”

É bem difícil dizer “não sei”, porque a crença que nos foi ensinada é baseada no seguinte princípio:

“Você é irresponsável e precisa ser controlado por outros, se não souber os resultados futuros do seu comportamento.”

Esse princípio explica por que nos sentimos envergonhados e acuados quando nossa “ignorância” é exposta às pessoas, além da necessidade de preservação da autoimagem.

7)    Toda pessoa tem o direito de ser independente da boa vontade dos outros

Você não precisa viver a mercê da boa vontade de ser aceito pelo outro. Essa postura, além de comprometer sua autoconfiança e poder de iniciativa, retira suas defesas frente a manipulação por parte de outras pessoas.

8)    Toda pessoa tem o direito de dizer “não compreendo”

Fique tranquilo, ninguém é perfeito para compreender completamente todas as coisas. Aceitar que você está sempre aprendendo é a maior das sabedorias. Mas, desde nossos primeiros anos é esperado de nós uma capacidade sobre-humana de reconhecer as necessidades dos outros sem que eles precisem nos falar, para não criarmos problemas. Bem, pelo menos eu não tenho uma bola de cristal que seja capaz de tal feito.

9)    Toda pessoa tem direito de dizer “não me importo”

Quantas vezes você recebe críticas por ser algo, que na percepção dos demais, não é agradável?

Você está gordo! Precisa emagrecer.

Você precisa ser mais desinibido e aprender a falar em público.

Precisa ser mais ligado à sua família.

Precisa ser uma mãe melhor.

 A crença de que precisamos sempre melhorar em tudo para sermos mais agradáveis aos outros, e nos adequarmos aos padrões estabelecidos pela sociedade, é que nos gera muito desconforto frente a essas críticas. A decisão de melhorar é sempre sua, pois você também tem o direito de dizer:

“Eu não me importo por ser assim.”

 clique aqui e inscreva-se em nossa newsletter

10) Toda pessoa tem direito de ser ouvida e levada a sério

Quando você deixa de expressar sua opinião, seus sentimentos ou desejos, acaba violando esse direito sagrado. O medo da rejeição, de sermos vistos como incompetentes ou até ignorados, é o que nos motiva a não expressar o que pensamos. É preciso superar esse medo e dar sua colaboração ao mundo. 

11) Toda pessoa tem o dever de reconhecer que todas as demais pessoas possuem esses mesmos direitos

Esse é o dever de reconhecer nossa igualdade, e aceitar a diversidade de pontos de vista. Saber que as demais pessoas, assim como você, em muitos momentos lhe darão um NÃO frente a realização de seus desejos, é o grande exercício que deve ser feito para fortalecer sua capacidade de tolerância à essas frustrações, e é sem dúvida o grande aprendizado necessário para a nossa verdadeira socialização.

É hora de apostar na assertividade. Chega de ter um comportamento que não representa aquilo que você veio trazer de bom ao mundo. Tenha a certeza de você possui uma linda verdade, e que ela conta com você para ganhar vida.

clique aqui e inscreva-se em nossa newsletter

Foto André

André L. G. Ferreira, Master Reiki, Coach certificado pela International Coaching Community, Administrador ,especialista em Qualidade , e Instrutor em Mindfulness.
http://www.greendh.com.br
andre.ferreira@greendh.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s