Minha Jornada no Eneagrama através da Criança Interior

Como André já contou sua jornada aqui com o Eneagrama (confira aqui a jornada do André), neste momento gostaria de compartilhar com vocês esta experiência que comecei em 2014 e o que, fez sentido para o meu processo de evolução, a partir da teoria do Eneagrama das Personalidades.

Leia também: O Eneagrama e o Autoconhecimento

A nossa Personalidade é formada nos primeiros anos de vida, até os 7 mais precisamente. Após esta idade, ela se consolida na adolescência e, a partir da vida adulta, ela nos acompanha como uma tendência, sendo observada através dos nossos comportamentos e modelos de atuação no dia a dia.

A palavra Personalidade vem de Persona, ou seja, uma máscara que desenvolvemos a partir da nossa infância, e como Domingos Cunha diz, é o nosso air bag, essa máscara é nosso mecanismo de proteção diante do mundo.

Sob a luz do Eneagrama, traz-se o conceito que nascemos Essência e através desta essência evoluímos e desenvolvemos nossa missão de vida, porém, em algum momento de nossa terna infância, e isso pode ser no útero materno, nascimento, primeiros meses ou anos de vida, formamos uma espécie de ‘ferida’, algum comportamento que encaramos com dor, proveniente de nossas figuras paterna e materna (digo figuras porque não necessariamente podem ter sido o pai ou a mãe biológicos), sentimos nossa vida em risco, perdemos algo ou compreendemos que para ter amor precisamos fazer algo a nosso favor. É neste momento que esta Personalidade começa a aparecer, bloqueamos momentaneamente nossa essência e, como mecanismo de sobrevivência, adotamos nosso air bag da Persona, o que denominamos Eneatipo.

Esses comportamentos provenientes da personalidade vão sendo reforçados durante nossa infância e adolescência, e, geralmente é na vida adulta, que de fato observamos as consequências da adoção desta Personalidade. Às vezes até acreditamos que somos nossa personalidade, esta máscara, e que não podemos nos transformar.

Clique aqui para se inscrever em nossa Newsletter

Através do autoconhecimento, é possível reconhecer estes padrões de comportamento e trabalhar no seu desenvolvimento, e no Eneagrama podemos fazer esta jornada de diferentes perspectivas, o caminho das Asas, Flechas/Sombra, Contra-flechas/Luz e da Criança Interior. O objetivo em todos estes caminhos é o mesmo: reencontrar nossa essência e trabalhar nossa ferida, para que possamos “olhar através de todas as janelas da personalidade” e termos uma vida mais plena.

Exercitei e me observei nestes caminhos e um dos que fez muito sentido em meu processo foi o da Criança Interior, um caminho muito profundo de entrega e contato com minha essência.

O mais interessante neste caminho foi que, um dos maiores medos que eu tinha era a possibilidade de acessar traumas de infância e dores que pudessem me machucar muito, embora saiba que nosso inconsciente não ‘libera’ informações que ainda não estejamos prontos para acessar naquele momento.

Para minha surpresa, este processo foi algo totalmente diferente: amoroso e cuidadoso. Foram meditações, atividades, reflexões e muita conversa, muita conversa mesmo com essa Criança Interior, e, hoje, aprendi a acessá-la quando preciso dela. Conversas que também incluíram as relações com estas figuras paterna e materna que geraram esta ‘ferida’ da Personalidade, retomando histórias, percepções, observações e sabedoria destes adultos, incluindo o que foi excluído e separando o que estava misturado, trazendo os conceitos das Constelações Familiares, afinal de contas, todos estes adultos já foram crianças um dia como nós.

Saiba mais sobre Minha Experiência com as Constelações Sistêmicas 

Em um dos exercícios, minha Criança Interior me levou até um lugar conhecido e que não via há muito tempo, me lembrou de um sonho que eu havia deixado no passado e que ainda era muito importante pra mim, mas estava esquecido. Senti as sensações e a  conexão de minha essência nesse sonho que eu havia construído, e descobri como a presença de minha mãe me dava força e incentivava esse sonho desde criança. Foi lindo!

Quando somos crianças somos essência, então, acessar e ouvir o que a essência precisa de você neste momento, que parte de você precisa ser ouvida, amada, cuidada, reconhecida é um processo transformador, que vem de dentro para fora. A nossa Criança Interior sabe as respostas. Inclusive ela traz insights e nos faz perguntas reveladoras, essenciais para o nosso reencontro, o encontro com você mesmo e com seu propósito.

Fica meu convite para que você possa retomar sua essência através de sua Criança Interior! Um processo de entrega, conexão e confiança. Um caminho possível para todos que desejam curar suas feridas do passado e acessar essa sabedoria interior.

Na Green Desenvolvimento Humano, além dos processos de desenvolvimento individual, também temos os Workshops de Eneagrama Autoconhecimento e Retorno à Essência que podem te ajudar! Clique aqui para conhecer.

IMG_3413

 

Sabrina Green é Consultora de Desenvolvimento Humano e Organizacional, Psicóloga e Coach pela ICC.
http://www.greendh.com.br
Contato: sabrina.green@greendh.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s